Share on facebook
Share on twitter
Share on email

A dual purpose KTM 250 pode chegar ao Brasil em breve

KTM 250 Adventure, uma trail de raiz que pode  chegar ao Brasil

 

                    Gradualmente, a fabricante de motocicleta austríaca KTM, tem sido capaz de expandir sua gama de modelos de baixa cilindrada em diferentes aplicações. É o caso do 250 Adventure apresentado em novembro de 2020 como o mais jovem e menor membro da renomada família multiuso da empresa austríaca. Esse modelo foi desenhado para países periféricos, cujos mercados apresentam bons volumes de venda em segmentos de motos trail com motores pequenos – como é o caso do Brasil. Atualmente, a marca só atua por aqui com dois modelos homologados para andar em ruas: as nakeds, 200 Duke e 390 Duke.

                Além delas, a marca oferece ainda diversas motos de uso esportivo, que não podem ser emplacados. A chegada da 250 Adventure colocaria a KTM em um nicho bastante atraente, onde brigam a Honda XRE 300, a Yamaha Lander 250, a Kawasaki Versys X-300 e a BMW G310 GS.

                Para criar a 250 Adventura, a KTM decidiu usar o motor da 250 Duke, de 30 cv – 4 cv mais potente que o da 200 Duke –, montado no quadro da 390 Adventure sem alterar o tamanho ou as capacidades. O chassi, no caso, é o mesmo multitubular desenvolvido ao longo de décadas competindo no Dakar. Segundo a marca, oferece a força e flexibilidade que um modelo de duplo propósito requer, mas enriquecido com uma subestrutura mais focada no conforto diário.

                Para manter a essência Adventure, a marca usou as mesmas suspensões WP Apex da 390, com um garfo telescópico dianteiro invertido, com 170 mm de curso, mas sem regulagem. Na traseira, ela traz um amortecedor com ajuste apenas de pré-carga de mola O sistema de freios possui ABS de dois canais com modo off-road desenvolvido pela Bosch, com discos de 320 mm à frente com pinça de quatro pistões e 230 mm na parte traseira com pinça flutuante. O modelo tem modos de pilotagem, inclusive um off-road, e o controle de tração que pode ser desligado.

                A 250 Adventure traz rodas dianteiras de 19 polegadas e 17 polegadas na traseira. A altura do assento é de 85 cm, com uma distância livre para o solo de 20 cm, mais do que suficiente para qualquer tipo de motociclista e de terreno. Uma coisa que é apreciada é a presença de um painel de LCD que, embora um pouco mais modesta que o TFT da 390, fornece todas as informações necessárias do computador de viagem.

Mecanicamente, 250 Adventure tem um motor monocilíndrico de exatos 248 cm³, com 30 cv a 9 mil giros e 2,45 kgfm a 7 mil rpm, certificado para os padrões de emissões Euro 5 – semelhantes aos exigidos no Brasil pela fase M5 do Promot. O motor é gerenciado por uma transmissão manual de 6 velocidades com transmissão final por corrente. (por Marcelo Palomino, Autocosmos.com/México – Exclusivo no Brasil para Auto Press)