Share on facebook
Share on twitter
Share on email

Audi Q2 muda e fica mais animado

O SUV compacto de luxo Audi Q2 é renovado e ganha em dinamismo e conteúdo

No Brasil, a Audi não gosta de atuar com carros pequenos. Talvez um trauma por conta da má experiência do hatch A1, que vendeu pouco e não ajudou em nada na imagem da marca. Além disso, a marca alemã por aqui precisa racionalizar sua gama, uma vez que é custoso fazer a adaptação dos modelos às idiossincrasias locais – combustível E27, estradas e ruas precárias etc. Por essa diretriz, lamentavelmente, o SUV compacto Q2 também nunca apareceu por aqui, embora esteja presente em diversos mercados sul-americanos, onde conseguiu se ambientar muito bem e funciona como porta de entrada para as marcas de prestígio. Até porque é o único SUV de luxo realmente compacto. BMW X1, Mercedes-Benz GLA e até mesmo Volvo XC40 são brigam em um segmento, o mesmo do Q3. Enquanto o Q2 tem apenas 4,21 metros de comprimento, os demais são entre 20 e 30 cm maiores. O pequeno SUV está agora entrando para a segunda fase dessa primeira geração. Mas ao contrário do que costuma acontecer, o Q2 teve uma atualização que extrapola o mero face-lift.

A marca defende que esta nova faz do Q2 é marcada pela agilidade e diversão, com uma pegada de aventureiro urbano – não se trata de um carro para ser colocado no off-road. No desenho, o modelo ganhou um visual mais sólido e esportivo. Os para-choques redesenhados acrescentaram 2 cm no comprimento – tinha 4,19 metros. Tanto o dianteiro quanto o traseiro foram redesenhados e usam estruturas menos robustas e retangulares, apelando para formas mais nítidas. Na verdade, o fabricante procurou usar elementos semelhantes em ambas as peças para gerar uma estética integrada. O conjunto é complementado por novas rodas de 17 polegadas.

Na altura, largura e entre os eixos, ele manteve as mesmas dimensões: 1,51 m, 1,79 m e 2,60 m, respectivamente. A reformulação revela um conjunto com linhas mais esportivas e robustas, que lhe dão mais personalidade. Na frente, há a uma nova grade “singleframe”, com moldura redesenhada e deslocada um pouco mais para baixo. Na frente também há superfícies mais marcadas sob os faróis, bem como entradas de ar falsas na parte inferior da grade, que dá mais expressividade ao modelo. Também mudou o desenho das luzes dos conjuntos óticos dianteiro e traseiro, com novo design e tecnologia led. Sob o capô, o Q2 é animado pelo conhecido motor TFSI de 1.4 litros com 150 cv de potência e 25,5 kgfm de torque, presente nas versões de entrada do Q3,por exemplo. Ele é acoplado a uma transmissão automática de oito velocidades.

No cockpit, a maior mudança está no sistema multimídia, com suporte para Apple CarPlay e Android Auto através da Interface Audi Smartphone. Da mesma forma, a tela de cores flutuante é maior 8,3 polegadas e é controlada pelo famigerado controle rotativo no console central ou por comando de voz, mas incrivelmente não tem suporte de toque. De qualquer forma, o sistema multimídia possui um rádio MMI Navigation Plus com oito alto-falantes, conexão Bluetooth e portas USB. Menção especial merece a presença do Audi Virtual Cockpit,que possui um cluster de instrumentos totalmente digital, configurável e em alta definição, com uma área de 12,3 polegadas, que fornece todos os tipos de informações de viagem para o motorista.

Há atualizações em alguns materiais, como as guarnições decorativas, o botão da alavanca de câmbio e as saídas de ar do ar condicionado, mas o design geral foi mantido – o que deixa o modelo ligeiramente defasado em relação a outros modelos renovados da marca. Os assentos oferecem um nível de conforto e ergonomia bem favorável. A capacidade do porta-malas é de 405 litros – chega a 1.50 litros com os bancos traseiros rebatidos. Nos bancos traseiros há largura para três passageiros, mas túnel central alto prejudica o quinto ocupante. De qualquer forma, tanto na frente quanto atrás, há bom espaço para a cabeça.

Como elementos de equipamento a bordo, o novo Audi Q2 35 TFSI Ambition traz alguns pequenos requintes. Tem ar condicionado automático, freio de mão eletromecânico, volante multifuncional em couro com ajuste em altura e profundidade, limitador de velocidade, molduras internas em alumínio escovado, pacote de iluminação ambiente em led, acesso sem chave e ignição, assistente de estacionamento com sensores dianteiros e traseiros, câmera de ré e sensores de luz e chuva. Em segurança, traz apenas seis airbags, além dos equipamentos obrigatórios.(por Elkin Chávez, Autocosmos.com/Colômbia – Exclusivo no Brasil para Auto Press)

Impressões ao dirigir

Animal urbano

O novo Q2 é um carro de manuseio amigável, ideal para o seu ambiente natural, que é a cidade. Entre ruas e avenidas, ele é muito manobrável, com uma direção dinâmica e progressiva, com assistência eletromecânica, que dosa muito bem peso do volante e a velocidade do carro. Com 1.380 kg, o crossover da Audi oferece uma relação peso/potência de 9,2 kg/cv – o Q3 com o mesmo propulsor fica em 10,7 kg/cv. E o carrinho mostra mesmo um bom dinamismo. Convenientemente, o turbo entra em ação a partir de 1.500 rpm, com grande parte do torque disponível, o que imprime um ritmo muito bom, especialmente no modo Sport. Segundo a marca, a versão 35 TFSI Ambition pode acelerar de zero a 100 km/h em 8,6 segundos e alcançar 218 km/h.

O detalhe da direção com espátulas no volante pode até ajudar em determinadas situações, mas isso não significa que o Q2 ofereça uma abordagem esportiva. Até porque ele se sai melhor quando é exigido de forma progressiva, sem rugosidade. A atualização fez muito bem ao Audi Q2, especialmente porque visualmente ele ganha em imposição e personalidade. Da mesma forma, a nova motorização de fato oferece um manuseio mais divertido na cidade e um bom fôlego na estrada, favorecido pelo ajuste da suspensão, que se equilibra bem entre transmitir confiança e filtrar as irregularidades.