Share on facebook
Share on twitter
Share on email

Jaguar renova F-Pace com mais conteúdo e potência 

SUV dio de luxo da Jaguar dá um passo à  frente em tecnologia e ganha motor mais potente

Para impulsionar as vendas, os fabricantes em geral mudam seus modelos de geração a cada sete anos e fazem uma atualização depois de três ou quatro anos. A Jaguar respeitou este calendário ao apresentar o renovado F-Pace. O modelo traz as mudanças presentes na versão vendida na Europa desde setembro do ano passado. Ele vem com uma renovação discretas do design frontal e traseiro, mas com alterações mais substanciais na cabine e também sob o capô. O modelo desembarca com duas motorizações e quatro versões de conteúdo. A versão S, que chega por R$ 463.750, a R Dynamic S, por R$ 474.850, e a R Dynamic SE, por R$ 510.550, são animadas pelo novo motor Ingenium 3.0 de seis cilindros em linha com 340 cv, desenvolvido pela própria Jaguar Land Rover. A mais esportiva de todas é a SVR – sigla para Special Vehicle Racing. Ele chega por R$ 725.950 e é movimentado por um motor 5.0 V8 – de origem Ford –, modificado para render 550 cv.

No visual, as mudanças na parte frontal atingiram capô, grade, faróis e para-choque, mas mantiveram o conceito estético básico da versão antecessora. A capô recebeu um ressalto central mais acentuado e o para-choque ganhou entradas de ar inferiores e aberturas laterais maiores, sem a barra divisória. A grade também ficou ligeiramente mais baixa e ganhou um novo padrão de preenchimento. Os faróis mantiveram o mesmo formato externo, mas tiveram as seções internas redesenhadas, com uma assinatura luminosa em duplo J. Na traseira, a tampa foi redesenhada, com uma área para placa maior, que linhas que acompanham o corte da lanterna, que por sua vez ficou com a base plana, sem o ressalto circular que fazia referência ao E-Type. O para-choque também foi alterado e agora tem uma saída de escape de formato quadrangular em cada lado – antes era duplo redondo apenas do lado esquerdo.

As dimensões eternas não foram alteradas e tem as medidas coerentes com o segmento de SUV médio de luxo, que tem tamanho equivalente ao de SUVs médios-grandes de marcas generalistas. O F-Type tem 4,75 metros de comprimento, 1,66 m de largura, 1,67 m de altura, com 2,88 m entre os eixos – a versão SVR ganha entre 5 e 15 mm no comprimento, na largura e na altura. A altura livre par ao solo é de 21,3 cm e tem ângulos de entrada de 22,5º, saída 22,9º e ventral de 19º, bem piores que os anteriores, que eram, respectivamente, de 25º, 31º 21º. A capacidade do porta-malas é de 508 litros, com 1.440 com a segunda fileira de bancos rebatida.

Na cabine, todos os paneis e consoles foram redesenhados, O câmbio, que antes era rotativo, agora ganha um comando semelhante a um joystick. O painel, totalmente digital, pode projetar na tela de 12,3 polegadas, tanto os controles, em várias opções de grafismo, até mapas do GPS as mudanças foram capitaneadas pela nova tela do sistema multimídia Pivi Pro, gerenciado a partir de uma nova tela 11,4 polegadas. que permite, segundo a marca, chegar a qualquer configuração com apenas dois toques. Ele permite conexão simultânea de até dois celulares, através dos aplicativos Apple CarPlay e Android Auto e pode ganhar internet interna com a instalação de um Sim Card, que permite a atualização do sistema operacional automaticamente, como acontece com smartphones. Dependendo da versão, o sistema de som pode ser até um Meridian Surround, com 16 alto-falantes, subwoofer e 650 Watts.

Sob o capô, o novo motor Ingenium 3.0 L6 Supercharged de 340 cv tira do cardápio por enquanto motor 2.0 turbo de quatro cilindros da mesma família, que rendia 250 cv. Ele tem 49 kgfm de torque entre 1.500 e 4.500 giros, tem assistência de um sistema híbrido suave e é gerenciado por um câmbio automático da ZF de oito marchas, que distribui a tração para as quatro rodas. Ele leva o F-Pace a 240 km/h e acelera de zero a 100 km/h em 6,1 segundos. Já a versão SVR traz o conhecido motor 5.0 V8 Supercharged de 550 cv e 71,4 kgfm. Ele trabalha com o mesmo câmbio da ZF de oito marchas e tração integral. A velocidade máxima é de 286 km e a aceleração de zero a 100 km/h ocorre em 4,0 segundos. Uma terceira motorização aparece no site oficial da marca no Brasil, mas não apareceu no lançamento oficial. Trata da versão híbrida plug-in, que une o motor 3.0 L6 Supercharged com um motor elétrico, que combinados oferecem 404 cv e 65,2 kgfm, com máxima de 240 km/h e zero a 100 em 5,3 segundos.

As mudanças feitas nesse face-lift não parecem suficientes para mudar o papel de coadjuvante do F-Pace no mercado brasileiro. Se passaram nove meses entre a apresentação do modelo renovado na Europa e a chegada no Brasil. Este tempo, longo para um modelo importado, se justifica pelo fraco desempenho de vendas da marca por aqui, que faz com que o lote de veículos importados demore muito até ser absorvido pelo mercado. Apesar de o segmento de SUVs médios de luxo ter pouquíssimos rivais e ser pequeno – em 2020 foram 5.014 emplacamentos –, o F-Pace ficou com uma participação de míseros 5,6%. O modelo da Jaguar vendeu apenas 283 unidades, contra 1.305 dos BMW X3/X4, 1.300 do Audi Q5, 886 do Volvo XC90 e 476 unidades do Range Rover Velar. (Texto: Eduardo Rocha/Auto Press Fotos: Divulgação)