Share on facebook
Share on twitter
Share on email

Renault Zoe ganha potência, autonomia e novo visual

Novo Renault Zoe E-Tech passa a ser importado para o Brasil com visual modernizado, mais potência e maior autonomia

Na Europa, carros puramente elétricos já começam a ganhar uma participação significativa no mercado. No Brasil, por outro lado, ainda são vistos como exóticos. E, de fato, a não ser por um ou outro modelo “normal”, os BEVs – battery eletric vehicle – acabam se concentrando em modelo de alto luxo, como Porsche Taycan ou Audi e-tron. Um bom exemplo dessa disritmia de mercado é o Renault Zoe, um dos modelos “normais”. Na Europa, ele é o BEV mais vendido, com 100 mil unidades emplacadas em 2020. No Brasil, ele também foi o mais vendido ano passado, mas com vendas um pouco menores: aproximadamente 200 unidades.

Esse descalabro fez com que a Renault buscasse um caminho alternativo para o seu compacto elétrico no Brasil. Ele assume o papel de embaixador do engajamento da empresa na preservação do meio ambiente, a partir de projeto com frotistas e instituições – apenas 20% dos carros foram vendidos no varejo.

Não por acaso, a marca escolheu a data de 22 de abril, Dia Mundial da Terra, para fazer a apresentação. É com esta função que o novo Zoe E-Tech desembarca no Brasil – segundo a própria fabricante, com um atraso de seis meses provocado pela pandemia. O modelo começa a ser vendido no Brasil em duas versões de acabamento: Zen, a R$ 204.990, e Intense, a R$ 219.990.

Nesta nova fase do compacto da marca francesa, lançada no final de 2019, o Zoe foi renovado tanto no visual quanto na dinâmica. O novo conjunto de baterias, com 12 elementos, apresenta uma capacidade 25% maior – pulou de 41 para de 52 kWh. E essa evolução foi obtida na evolução da própria bateria, que ocupa o mesmo espaço da anterior.

Com isso, a autonomia passa a ser 385 km, no otimista ciclo europeu WLTP, e o modelo ganha fôlego para realizar pequenas viagens – até por conta da maior facilidade que passa a ter para realizar a recarga. A potência do motor também aumentou, de 92 para 136 cv, enquanto o torque subiu de 22,4 para 25 kgfm. O carregador interno também ganha maior capacidade, passando de 7,4 kWh para 22 kW.

O sistema de recarga do Zoe E-Tech, chamado de Caméléon (camaleão), se adapta à fonte de energia para extrair o máximo de potência. Com isso, dependendo da situação, o sistema tem uma velocidade de carregamento até três vezes maior. Na melhor condição possível, pode ser totalmente recarregado em pouco mais de duas horas.

A Renault homologou a fabricante de equipamentos elétricos WEG como fornecedora de estações de recarga para veículos elétricos. O contrato prevê o fornecimento para estações de recarga, concessionárias Renault, frotistas e consumidores finais. Neste caso, a WEG vai oferecer três modelos de wallbox. De 7,4 e de 22 kWh de corrente alternada para uso doméstico e um de 50 kWh de corrente contínua para uso em frotas.

Esteticamente, o Zoe manteve o mesmo conceito estético, mas ficou bem mais refinado. As linhas na parte frontal ficaram mais agressivas, com para-choques com reentrâncias mais marcadas para o farol de neblina e entrada de ar inferior maior. A assinatura em led agora desenha todo o contorno do conjunto ótico, enquanto as lanternas traseiras passam a ter seções frisadas.

O interior também foi renovado, com um visual moderno e limpo. Os revestimentos são simples e buscam valorizar a ideia de uso racional dos materiais e uma estética mais despojada. O Zoe E-Tech traz, por exemplo, revestimentos internos com tecido 100% proveniente de reciclagem. A central multimídia de sete polegadas se combina com o painel de instrumentos digital com tela de 10 polegadas.

Um detalhe bem conveniente é o bico central da fonte de alimentação sob a logomarca, que permite estacionar com a frente voltada para a estação de carga. A visibilidade é sempre boa e tanto o espaço na frente quanto atrás de dois ocupantes são realmente generosos.

No Brasil, o modelo foi lançado no varejo durante o Salão do Automóvel de 2018 e atualmente é vendido diretamente ao consumidor em 16 concessionárias de 12 cidades, que também têm unidades para test-drive, ou via internet. O Zoe E-Tech também passa a fazer parte do catálogo de produtos do Renault On Demand, serviço de assinatura da marca lançado em janeiro, com preço de R$ 3.890 mensais. Neste sistema, todos os custos de manutenção, seguro e IPVA correm por conta da marca (por Eduardo Rocha, Auto Press)