Teste: VW Taos mostra boa dinâmica

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Equação familiar: SUV médio Taos segue a fórmula pronta da Volkswagen com dirigibilidade, espaço e equipamentos

por Ruben Hoyo/Autocosmos.com/México

Exclusivo no Brasil para Auto Press

Enquanto a Volkswagen apresenta o SUV médio Taos no Brasil pela segunda vez de forma virtual, no México o modelo já começa a chegar nas concessionárias. Mas mesmo lá, o lançamento do modelo foi tortuoso. A confirmação de que um SUV médio menos refinado que o Tiguan seria fabricado em Puebla foi há mais de dois anos, em meados de 2018. Inicialmente, o projeto era conhecido como Tarek, nome que acabou sendo reservado para a picape média de menor porte que a Volkswagen pretende produzir para brigar com a Fiat Toro. Depois surgiu o nome Tharu, usado para a versão feita na China. Apenas em setembro de 2019, o nome Taos foi confirmado. Com alguns detalhes divulgados há algumas semanas, a pré-venda foi iniciada. As primeiras unidades serão entregues ainda este ano.

            Com 4,46 mm, o Volkswagen Taos 2021 é 26,6 cm mais longo que o T-Cross e 23,6 mm mais curto que o Tiguan. Ou seja, fica bem no meio do caminho. No entanto, em relação à dinâmica ao refinamento e aos equipamentos, seja de conforto, de segurança ou de conectividade, o Taos está muito mais perto do modelo maior mais velha. Talvez até perto demais. Até porque o modelo não traz novidades mecânicas e repete o mesmo motor usado pelo Tiguan de entrada: o antigo 1.4 litros turbo de 4 cilindros com 150 cv e 25,5 kgfm de torque. Embora já esteja há muito tempo no mercado, ainda é competitivo. A equação de eficiência de combustível e entrega de energia ainda se sustenta.

A transmissão é automática de seis velocidades, que embora não tão rápida quanto uma DSG, é muito robusta e entrega suavidade operação e velocidade de ação. A tração é para a as rodas da frente. O conjunto deixa o Taos ágil e só mostra alguma limitação quando o motor é chamado com mais rapidez. Entre 2 mil e 4 mil giros, a transmissão funciona perfeitamente e a resposta é contundente e agradável, com um consumo baixo. É verdade que há um turbolag acentuado, mas não é uma coisa que se torna problemática.

            Em movimento, o SUV se mostrou estável. Usando a plataforma MQB, o Taos oferece uma boa qualidade de passeio e transmite confiança ao motorista. A suspensão tem uma calibração orientada para o conforto, é suave, mas ainda consegue controlar perfeitamente a rolagem da carroceria e pode ir muito rápido com segurança. Também é surpreendentemente insonorizado. Mesmo a 180 km/h o ruído de rolamento ou vento é muito baixo. Em termos de qualidade de viagem e equilíbrio, o Taos é um produto bem acima dos modelos aos coreanos, como Kia Sportage e Hyundai Tucson. E fica próximo de Tiguan, Honda CR-V e Ford Escape, os modelos com melhor dinâmica entre os crossovers médios.

  Portas dentro, a experiência que o Volkswagen Taos entrega é boa, mas existem alguns plásticos, como a parte superior e inferior do painel e o console central, que têm textura desagradável. No centro do console frontal, a combinação de uma moldagem cinza grafite e uma inserção de toque suave com acolchoado melhoram muito a percepção. Os painéis da porta trazem um plástico na parte superior macio ao toque e no centro repete o acolchoado do console. Além disso, o volante multifuncional, revestido de couro com costuras brancas, tem espessura adequada.

           Mas o que mais se destaca no interior é o conjunto de dois displays, o centro de toque de 10 polegadas muito rápido e de excelente resolução que funciona em conjunto com o painel digital configurável de 10,3 polegadas. Não só gera uma atmosfera de modernidade, mas também é intuitiva e fácil de operar. No México, a Central Multimídia tem um sistema diferente do VW Play, que será usado no Taos. Lá, o sistema tem maior capacidade e, além do “touch”, usa botões como interface. O VW Play tem apenas tela de toque. Carregador sem fio, controle de clima de duas zonas com saídas traseiras do passageiro e o imenso teto panorâmico completam a lista de comodidades.

            No banco de trás, o espaço é bem generoso. Mesmo adultos de grande se acomodam bem. E embora seja mais de 20 cm mais curto que Tiguan, o Taos oferece um porta-malas imenso, 795 litros. O novo Volkswagen Taos é uma receita que dificilmente daria errado. É verdade que ele usa motor, transmissão, plataforma e muitos elementos que já estão envelhecendo, mas que juntos ainda fazem um produto muito sólido e equilibrado.

Falta um certo refinamento nos plásticos e alguns componentes mais modernos existentes em outros modelos do Grupo. Caso do novo motor 1.5, das transmissões de oito velocidades e dupla embreagem, mas é preciso considerar que a adição dessas opções mudaria o preço para cima e desta vez a VW escolheu privilegiar equipamentos de segurança e de conectividade. O modelo chega com seis airbags, ABS, ESP e câmera de ré, alerta de colisão com frenagem automática de emergência, monitor de ponto cego, controle de cruzeiro adaptativo ACC e alerta de tráfego cruzado. Taos é um produto interessante e a menos que se precise de espaço extra, não é preciso voltar a olhar para o Tiguan.

TRÂNSITO LIVRE

VIDEOS

MARCAS